A Padroeira

Por volta de 1750, quando os campos de Vacaria já eram habitados, os fazendeiros costumavam queimar o capim ao final do inverno. Em uma dessas queimadas, o proprietário de uma das fazendas da região, cujo nome não há registro, percebeu que apenas uma pequena mancha não havia sido tomada pelas chamas. Ao atear fogo novamente, avistou, entre as labaredas, uma pequena imagem de madeira sobre uma pedra, com a inscrição: N. S. da Oliveira.

O fazendeiro, com o apoio da sua família, preparou uma pequena capela de barro, coberta de capim, próximo à casa, no alto da coxilha. Com a disseminação da notícia na região, vizinhos próximos e distantes passaram a visitar a capela e fazer orações à imagem. Logo, ranchos de barro foram construídos nos arredores daquela ermida, dando início ao povoado onde, hoje, está localizado o Município de Vacaria. Os mais antigos acreditavam que a imagem poderia ter sido deixada naquele local por inspiração divina, ou esquecida por alguma caravana de bandeirantes portugueses.

Existe, ainda, uma lenda sobre a criação da Capela de Nossa Senhora da Oliveira. A história conta que um sacerdote, possivelmente da cidade de Viamão, desejava levar a imagem até sua cidade, enquanto um local adequado não fosse construído para acolhê-la em Vacaria. Duas vezes o sacerdote teria tentado fazer o transporte da imagem e, em ambas, no caminho, ou por furto ou por queda do cavalo, a imagem sumia e reaparecia no seu local, na capela em Vacaria. Assim, o sacerdote teria se convencido de que Deus queria que a imagem lá permanecesse. Foi então que este mesmo padre solicitou a ereção da Capela de Nossa Senhora da Oliveira, inaugurada em 21 de dezembro de 1761. Depois de ser atendida pelo Vigário de Viamão e, posteriormente, pelo Pároco de Santo Antônio da Patrulha, a Capela do Distrito dos Pinhais teve como primeiro sacerdote residente o Pe. Dr. João Ferreira Roriz.

No dia 20 de dezembro de 1768, D. Frei Antônio do Desterro, 6º Bispo do Rio de Janeiro, decretou a criação da freguesia de Nossa Senhora da Oliveira, que teve como primeiro pároco o Pe. João da Costa Barros e ficou sob a jurisdição eclesiástica do Rio de Janeiro. Em 1848, com a criação da Diocese de Porto Alegre, esta passou a jurisdicionar Vacaria. Somente no ano de 1870 foi construída uma nova Igreja Matriz, de forma primitiva, junto à Praça de Nossa Senhora da Oliveira, hoje Praça Daltro Filho, no centro da cidade.