Clero








Bispo

Dom  Sílvio Guterres Dutra
 Nasceu no dia 06 de junho de 1966, no município de Encruzilhada do Sul, no estado do Rio   Grande do Sul – Brasil. Filho de Lúcio Barboza Dutra e de Maria Joaquina Corrêa Guterres.
 Ingressou no Seminário Menor São José de Gravataí no ano de 1985, na etapa do   Propedêutico. Ingressou no Seminário Maior Arquidiocesano Nossa Senhora da Conceição   de  Viamão, onde cursou Filosofia (1986-1988) junto a FAFIMC (Faculdade de Filosofia   Imaculada Conceição), e Teologia (1989-1993) junto ao CETJOV (Centro de Estudos Teológicos João Vianney), sendo ambas as instituições acadêmicas referidas integradas ao mesmo seminário.
Foi ordenado Diácono em 06 de junho de 1993 e Presbítero em 18 de dezembro de 1993, na paróquia Nossa Senhora dos Navegantes, em Charqueadas, pela imposição das mãos do então Arcebispo Metropolitano de Porto alegre, sua Exa. Revma. Dom Altamiro Rossato.
Fez especialização (Mestrado) em Teologia Pastoral (1999-2001) junto à Universidade Lateranense, em Roma.
Exerceu o ministério presbiteral como vigário paroquial da paróquia São João Batista de Camaquã (1994); pároco da paróquia Santa Ana de Porto Alegre (1995-1997); pároco da paróquia Nossa Senhora do Mont’Serrat de Porto Alegre (1998-1999); pároco da paróquia Madre Teresa de Calcutá de Porto Alegre (2002); pároco da paróquia Nossa Senhora de Fátima de Guaíba (2003-2012); vice-reitor e assistente dos seminaristas do curso de Teologia do Seminário Maior Arquidiocesano Nossa Senhora da Conceição de Viamão (2013) e reitor e assistente dos seminaristas do curso de Teologia no mesmo seminário (2014-2018).
No exercício do ministério presbiteral cumpriu ainda outras funções, tais como: professor de Teologia Pastoral, junto a PUCRS (Pontifícia Universidade Católica de Rio Grande do Sul); coordenador de pastoral do Vicariato Episcopal de Guaíba; membro do Conselho de Presbiteros; membro do Colégio de Consultores, membro da coordenação da Pastoral Presbiteral e coordenador da Comissão Arquidiocesana para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada

BRASÃO EPISCOPAL (Criação: Nelson S. Pereira (Ascom POA)
O chapéu com cordas e doze borlas verdes é símbolo de Cristo cabeça da Igreja e dos doze apóstolos, a cuja missão o bispo
encontra-se intimamente associado. A cruz pastoral dourada indica que o ministério do bispo existe em referência ao ministério pastoral de Jesus e em continuidade com o mesmo. “Atuando na pessoa e em nome de Cristo, o bispo se converte para a Igreja a ele conada, em sinal do Senhor Jesus, Pastore Esposo, Mestre e Pontíce da Igreja” (PG. 7). O Cristo é representado pelo Cordeiro, como centro e foco principal do brasão, dene a principal referência para o bispo. 0 Evangelho é representado pelas letras gregas, Alfa e ômega o princípio e m da vida de todo Cristão e justicação da vocação e da vida do novo bispo. A aliança entre a diocese de Vacaria e o escolhido como pastor desse rebanho é lembrada nos Ramos de oliveira, fazendo referência à padroeira: Nossa Senhora da Oliveira. Em formato de cálice, o Escudo simboliza a comunhão com a Igreja. O azul, mais uma vez faz referência à Nossa Senhora. Dividindo o escudo em 4 partes, a Cruz central, permite os espaços para o Alfa e Ômega, em contraponto os ramos de oliveira.
.
 




 


                           
 





 
 
Bispo
Em 2011 foi escolhido como bispo referencial para a juventude no Regional Sul-3 da CNBB, função que exerceu até 2013.
Foi nomeado bispo da Diocese de Vacaria pelo Papa Bento XVI, no dia 28 de maio de 2008. Sua ordenação episcopal aconteceu no dia 27 de julho de 2008 na Catedral de Santa Cruz do Sul, pelo Cardeal Dom Cláudio Hummes, tomando posse na Catedral de Vacaria no dia 24 de agosto de 2008.
Em 1981 assume como pároco substituto na Paróquia São Francisco de Assis, em Porto Alegre, no ano seguinte trabalhou no Secretariado da Família Franciscana do Brasil, em Petrópolis, Rio de Janeiro. Em 1983 foi transferido para o Seminário Seráfico de Taquari, como Superior da Comunidade e como Reitor do Seminário de Ensino Médio. De 1984 a 1988 foi Superior da Comunidade e Reitor do Seminário, em Daltro Filho. Seguiram-se quatro anos como Reitor do Seminário para vocações adultas, em Agudo. De fevereiro de 1995 a dezembro de 1999 foi Superior regional dos Frades e Pároco em Não-Me-Toque, na Diocese de Passo Fundo. Em janeiro de 2000 foi transferido para a Paróquia de Agudo, na Diocese de Cachoeira do Sul, onde foi Pároco. Foi eleito Superior dos Franciscanos do Rio Grande do Sul, em outubro de 2001, ministério em que permaneceu por seis anos. Terminado período foi reconduzido a Daltro Filho, como Pároco e auxiliar na Formação do Noviciado. Em 1992 voltou a Daltro Filho, agora como pároco, na Diocese de Caxias do Sul, auxiliando, também, nas atividades formativas do Noviciado.
Dom Irineu Gassen foi formador e professor no Seminário Menor em Taquari e em Daltro Filho. Em 1976 inicia os estudos no Ateneo Antoniano de Roma, onde obtêm a Licenciatura em Teologia com Especialização em Espiritualidade. Ao voltar de Roma, retorna a trabalhar no Noviciado e no Seminário Menor.
No dia 2 de fevereiro de 1966, em Divinópolis, fez os Votos Perpétuos Solenes na Ordem Franciscana. Sua ordenação diaconal acontece no dia 2 de dezembro de 1967, na paróquia São Francisco de Assis, Porto Alegre. No dia 27 de julho de 1968, na Catedral de Santa Cruz do Sul, é ordenado sacerdote por Dom Alberto Etges.
Ingressou, em 1954, no Seminário Seráfico São Francisco, em Taquari, onde concluiu o Curso preparatório e os ensinos fundamental e médio. Ingressou na Ordem Fransciscana em 1962, realizando o Noviciado e os estudos filosóficos no Convento São Boaventura, de Daltro Filho, então município de Garibaldi. Em 1965 iniciou os estudos teológicos em Divinópolis, Minas Gerais. Os outros três anos foram feitos no Seminário Maior Nossa Senhora da Imaculada Conceição de Viamão.
Nascido na localidade de Formosa, município de Vale do Sol no dia 24 de novembro de 1942, Dom Irineu Gassen é o nono entre os treze filhos de Arnoldo Gassen e Erna Maria Finkler Gassen.
Dom Frei Irineu Gassen - OFM





Bispo Emérito
Dom Frei Orlando Dotti – OFMCap

Nasceu em Antônio Prado, no dia 22 de Junho de 1930. Filho de José e Mathilde Miotto Dotti, recebeu de Octacílio.

Formação: Estudou na escola da localidade de Linha Silva Tavares, 1937 a 1941. Em 1942, entrou no seminário dos capuchinhos em Veranópolis. Completou o curso clássico do segundo grau em Ipê, de 1946 a 1948. Em 1949, fez o noviciado em Flores da Cunha.
De 1950 a 1952, filosofia em Marau. Em 1953 a 1956, Teologia em Garibaldi e em Porto Alegre. Foi ordenado sacerdote em Porto Alegre no dia 08 de Abril de 1956, de 1956 a 1958, frequentou o curso de inglês no centro cultural americano. De 1958 a 1959, fez curso de inglês em Washington, DC, onde também incluiu o curso de Educação Comparada.

Atividades: De 1957 a 1962, professor no seminário de Ipê. De 1962 a 1964, diretor e professor no curso clássico de Marau. De 1964 a 1969, professor na faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ijuí.
No dia 25 de Maio de 1969, foi ordenado bispo. De 1969 a 1976, bispo de Caçador. Em 1972, fundou a Faculdade de Ciências e Letras em Caçador. De 1974 a 1976, membro estadual de educação de Santa Catarina.
De 1976 a 1983, bispo da Barra/BA. Coordenador do setor de educação e do setor social da CNBB, de 1978 a 1982. Neste mesmo período, membro do departamento da Ação Social do CELAM.
De 1983 a 1986, bispo coadjutor de Vacaria. De 1986 a 2003, bispo Diocesano de Vacaria. Durante esse período, foi presidente nacional da Comissão Pastoral da Terra e membro da Pax Christi International.
De 2006 a 2008, Administrador Apostólico de Vacaria.
Atualmente é bispo Emérito e Notário da Diocese de Vacaria.

Brasão Episcopal: Embora o brasão não siga a rigor as leis da Heráldica compõem-se dos símbolos tradicionais do bispo: chapéu eclesiástico, borlas e cruz. No centro, de fundo azul claro, significando o mundo, lugar no ministério episcopal está o “TAL” símbolo bíblico e franciscano da penitencia. Logo abaixo tem uma espiga de trigo e um cacho de uva, produtos do sul do pais e símbolo da Eucaristia, que o bispo preside nas concelebrações diocesanas.
Em faixa própria ao pé do brasão traz o lema: “Cor Ad Cor Loquitur, o Coração fala ao coração. O Lema é tirado da tradição franciscana da Idade Média, também adotado pela FAFI de Ijuí e do Cardeal John Henry Newman.


Padres        
Diocesanos

Pe. Ademir Mocellin
Pe. Agemiro Gusso
Pe. Alvise Garbin
Pe. André Varisa
Pe. Cláudio Prescendo
Pe. Édio Bresolin
Pe. Édson Priamo
Pe. Elisandro Guindani
Pe. Eliseu Vicensi
Pe. Evaldo Petry
Pe. Felipe Carra
Mons. Germino Pagno
Pe. Ilírio Guadagnin
Pe. Itamar Boff
Pe. Ivaldo Grison
Pe. João Carlos Zanella
Pe. João Rotini
Pe. José Carlos Steffens
Pe. Juarez Hoffmann
Pe. Leandro Rodrigues
Pe. Leonir Martini
Pe. Lindomar Santos
Pe. Lino José Webber
Pe. Lourenço Righez
Pe. Luiz Primachik
Pe. Nelson da Silva
Pe. Nilson Mezzomo
Pe. Olívio L. Dembogurski
Pe. Osvaldo González
Pe. Paulo Canton
Pe. Rene Zanandréa
Pe. Sidmar Foiatto
Pe. Sillos Sganzerla
Pe. Urri Nivaldo Guzzo
Pe. Waldir Begnini


Religiosos
Ordem dos Frades Capuchinhos

Frei Affonso Costela
Frei Alvaro Dani
Frei André Audibert
Frei Arlindo Itacir Battistel
Frei Clair José Zampieron
Frei Claudecir Fantini
Frei Cleto Armiliato
Frei Daniel Costela
Frei Edson Gilberto Cecchin
Frei Eudes Zanon
Frei Germano Miorando
Frei Ismael Sartor
Frei Marcelo Alves de Carvalho
Frei Nadir José Segala
Frei Reginaldo Manoel Casinato
Frei Reinaldo Bernardi
Frei Reni Bortolon
Frei Vilmar José Dall’Agnol
Frei Volmir Luis Warken
Dom Osório Bebber - OFMCap


Diaconato Permanente
Valdevino Monteiro da Silva
Paróquia São Paulo Apóstolo – Lagoa Vermelha