Dimensões

Explicação:

As dimensões compõem o Ser da Igreja, são intrínsecas, pertencem à sua essência. São de caráter permanente. Por esta razão, não se põem em mesa de negociação. De uma maneira ou outra, com maior ou menor intensidade, cada uma das dimensões está presente em qualquer atividade da Igreja. É como se fosse um bolo feito de seis camadas diferentes, ao ser cortado tira-se uma fatia de alto a baixo em que todas as camadas estão presentes. Não são elementos que possam ser aceitos ou não. Não estão sujeitos ao voto. As dimensões são inerentes a todo agir da Igreja.

Liturgia
Referencial: Pe Rene Zanandrea

 A dimensão litúrgica é fonte e culminância da vida e da ação da Igreja. Na liturgia se dá a comunhão eclesial e a participação celebrativa. A liturgia celebra o Mistério Pascal de Cristo no Ministério da vida de cada cristão e de cada comunidade.
A liturgia é um serviço público de louvor a Deus, é uma proclamação de louvor a Deus pela boa nova da criação, da dignidade humana e da presença de Cristo no mundo na Diocese de Vacaria, essa dimensão dedica esforços para oferecer anualmente o Curso de Canto Litúrgico e Pastoral (CCLP) além de elaborar e coordenar momentos litúrgicos em eventos diocesanos como retiros e Assembleias Pastorais. Também presta assessoria na formação com lideranças dessa área em paróquias.
Em 2017, o 10º CCLP agendado para 19 de agosto em Sananduva, fará como nas edições anteriores um misto entre ensaios de cantos e aprofundamento de temas litúrgicos. É objetivo dos CCLPs renovar o repertório musical das celebrações e, além disso, favorecer as lideranças litúrgicas na criatividade ao prepararem momentos orantes em suas comunidades.
Duas reuniões anuais acontecem com os coordenadores diocesanos de Liturgia do Estado e o bispo referencial D. Aloisio Dilli. Isso favorece um caminhar em sintonia das Igrejas particulares com o Regional Sul 3 e a Igreja como um todo.

Catequese
Referencial: Pe André Varisa
Coordenação Diocesana: Ir Maria Rosa Zancanaro


Esta dimensão está intimamente ligada à educação da fé. Por ser um processo, tem passos a serem seguidos. Jesus é o modelo de toda a catequese. Ele partia da realidade, das coisas do dia a dia para falar das coisas difíceis do Reino. A Pregação dos Apóstolos foi inicialmente um anúncio querigmático, isto é, da vida, paixão, morte e ressurreição do Senhor e depois, tiravam daí as conclusões éticas, morais e outros ensinamentos. Faziam-no nas sinagogas e nas casas. Historicamente, a Igreja particular de Vacaria foi uma Igreja de galpão, poderia ser chamada uma Igreja galponeira. Em alguns lugares, felizmente, ainda é.
Tudo deve concorrer para a formação da comunidade. Sem formação bíblica não há Evangelização, nem mesmo respeito pela vida, meio-ambiente e pessoa, e não haverá iniciação a vida cristã.
Nossa fé nos impõe uma maneira de viver no mundo
segundo o projeto de Jesus Cristo.

Missão
Referencial: Seminarista Felipe Carra

O primeiro compromisso da Igreja consiste em levar a diante a missão de Cristo: a proclamação da Boa Nova da Salvação.
A Igreja, toda missionária, visa o anuncio de Cristo. A Igreja está em “Estado Permanente de Missão”, tanto dentro da comunidade como para fora dela. Visando a atividade missionária, programam-se cursos, encontros, formação permanente, envios e celebrações, entre outros.
Jesus se preocupava com o todo da vida de seu povo. Assim, a Igreja, através de Congregações Religiosas, Institutos, sempre foi uma Instituição de cunho social, através de Colégios, Hospitais, Creches e Pastorais Sociais. Muitas vezes o anúncio de Jesus Cristo passa pelo testemunho e pelo serviço da Igreja junto aos mais pobres. Manifesta-se outras vezes, pelo resgate da dignidade humana através da mensagem Evangélica. A Igreja não é uma instituição beneficente, mas, através dos seus serviços, expressa a sua preocupação com a dignidade humana, muitas vezes, vilipendiada nas pessoas mais carentes. Esse testemunho da credibilidade aquilo que a Igreja prega, mesmo a respeito de Jesus, o Salvador.

Vocacional
Referencial: Pe André Varisa

A Pastoral Vocacional é parte integrante da vida da Igreja. Consiste numa de suas preocupações fundamentais, por isso, uma prioridade pastoral. “Um generoso empenho deve ser posto em ação – sobretudo a oração insistente ao Senhor da messe (cf. Mt 9,38) – na promoção das vocações para a vida sacerdotal, vida religiosa consagrada, como também de lideranças na Igreja.
Animação vocacional não é uma pastoral a mais na paróquia, mas sim uma dimensão que perpassa toda a ação evangelizadora da Igreja.
Pastoral Vocacional ajuda “descobrir o sentido da vida e o projeto que Deus tem para cada pessoa, acompanhando-a em seu processo de discernimento” (Documento de Aparecida, 314).
Na diocese de Vacaria os contatos com a Equipe Vocacional Diocesana são feitos através do
e-mail: a.varisa@yahoo.com.br

Social
Referencial: Pe Eliseu Vicensi

Normalmente, a Igreja começa seu trabalho congregando pessoas para viverem em Comunhão e Participação. Contudo, nos países dominados por religiões orientais, a Igreja católica quase sempre começa com escolas, obras sociais e atendimento aos pobres. Começa com o testemunho da caridade. Belo exemplo disso é a Madre Teresa de Calcutá.
Assim, também fez Jesus em seu tempo: curou cegos, surdos, mudos, leprosos, ressuscitou mortos, anunciou a boa nova aos pobres. Por sua ação libertadora testemunhou que Ele era o Messias. Pela primeira vez, Ele declarou que Ele era o Messias a uma herege, a Samaritana.
As Pastorais Sociais estão todas elas dentro dessa dimensão. Algumas, as de assistência, não assistencialistas, são muito bem aceitas porque lutam por direitos ainda não alcançados junto às crianças, aos trabalhadores.
As pastorais de fronteira nem sempre são entendidas e aceitas, apesar de importantes.
Nessa dimensão a Igreja também trabalha em parceria com o poder público e outros atores sociais. É um espaço de macro ecumenismo com todos os desafios que lhes são inerentes.
Um fenômeno recente são os movimentos eclesiais que, além de terem dinâmica própria e inseridos no contexto da Igreja, são uma força de transformação. Isolados, tornam-se um peso. Não há razão alguma para contrapor pastorais e movimentos, pois cada um tem seu espaço e sua função.

Ecumenismo
Referencial: Pe Cláudio Prescendo

A Igreja não é uma ilha. Onde quer que ela vá ou esteja se relaciona com outras culturas, sabendo que a religião é o coração cultural de um povo. Em todas as culturas estão presentes “as sementes do Verbo”. Quem chega primeiro nos mais distantes rincões sempre é o Espirito Santo. E o Espírito Santo não é propriedade da Igreja. A Igreja é que pertence ao Espírito Santo.
Em relação à prática do ecumenismo, a Diocese de Vacaria não se destaca em razão da ausência das “confissões cristãs históricas” nesta região. Quanto aos “novos movimentos religiosos”, comumente chamados crentes, o diálogo é penoso e quase infrutífero, por ora.
De qualquer maneira, necessitamos ampliar o ecumenismo e o diálogo inter-religioso.